Pedir um Crédito Rápido

Publicado a 17 Novembro 2012

Saiba como pedir um crédito rápido. Diversas dicas para se proteger contra fraudes em créditos urgentes. Poupe dinheiro e evite problemas quando precisar de dinheiro rápido na sua conta bancária.

Nestes últimos anos os créditos rápidos têm ficado cada vez mais populares. São empréstimos de baixa quantidade, de entre 500 e 10000 euros, e com prazos flexíveis de devolução, em geral até 90 meses.

Uma das principais vantagens deste tipo de créditos é a possibilidade de conseguir dinheiro urgente em 24 horas ou menos. Além disso, não é necessário indicar a finalidade do crédito, pelo que torna mais fácil de perdir.

No entanto, apesar de ser rápido, o seu principal inconveniente é que a Taxa Anual Equivalente (TAE) destes créditos andam entre os 20 e 30%. E esta taxa de juro alta, que apesar de não cobrarem comissão de abertura, mas sim de cancelamento, faz com que estes empréstimos sejam caros.

Porque as taxas de juros são altas nos créditos urgentes?

Estas entidades financeiras estão registadas no Banco de Portugal e as suas atividades são legais, apesar de oferecem taxas muito altas. Isto geralmente deve-se porque a sua principal forma de captar clientes é através de publicidade na TV e em outros meios, por isso, como o custo do marketing é elevado, os custos são repercutidos no cliente.

Além disso, outro fator que influência o seu alto preço é pedir menos explicações e documentos para conceder o empréstimo. Sem contar, que como são fornecidos rapidamente, é necessário haver uma verificação do risco do cliente e probabilidade de entrar em incumprimento.

Quando pedir um crédito urgente?

Só deverá recorrer a créditos rápidos quando necessitar mesmo de dinheiro no momento ou quando o banco não concede um crédito pessoal. Neste caso, este tipo de empréstimo poderá ajudar-lhe a sair da sua situação de endividamento ou de insolvência, e poderá pagar o dinheiro que deve assim que resolve ro problema. Mas, com a crise económica é preciso ter um cuidado redobrado para não piorar as suas dívidas.