Justiça condena 13 pessoas na PIRÂMIDE KRIPTACOIN / WALL STREET CORPORATE

Publicado a 25 Abril 2018

fraude WALL STREET CORPORATE e fraude KRIPTACOINJustiça do Brasil condenou 13 pessoas na PIRÂMIDE KRIPTACOIN / WALL STREET CORPORATE. FARAÓS, LARANJAS e PIRAMIDEIROS foram condenados. Conheça mais detalhes sobre o caso. ALERTA!

Não foi falta de aviso!

A 14 julho 2017 avisamos que a KRIPTACOIN / WALL STREET CORPORATE era um ESQUEMA PONZI e não existia uma criptomoeda real, com valor chamada KRIPTACOIN. Foi uma ilusão criada para receber o dinheiro dos OTÁRIOS e nunca pagar.

Durante meses… os FARAÓS, LARANJAS e vários PIRAMIDEIROS que antes estiveram em outros golpes, prometeram ganhos irrealistas… até que… a Polícia Civil deu cabo da PIRÂMIDE KRIPTACOIN em setembro 2017.

Quando você lida com golpistas… não pode esperar outra coisa. Dinheiro fácil não existe. Para atrair novos OTÁRIOS e parecer tudo tão real, usaram o dinheiro para se ostentar.

kriptacoin = dinheiro de monopólio = 0 reais

Se você é uma vítima da KRIPTACOIN, você deve saber como recuperar o dinheiro na KRIPTACOIN. Você deve denunciar os golpistas!

Não tenha pena ou medo de golpista. Se você não fizer nada, eles vão estar sempre a criar novos golpes e você vai ser o responsável, porque nunca denunciou.

De acordo com o G1, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal condenou, nesta segunda-feira (23), 13 pessoas acusadas de participar na PIRÂMIDE FINANCEIRA da falsa moeda virtual KRIPTACOIN, que fez 40 mil vítimas no DF e em Goiás e movimentou R$ 250 milhões em um semestre.

A 8ª Vara Criminal sentenciou a 11 anos e cinco meses de prisão, em regime fechado, Weverton Viana Marinho, considerado o chefe do grupo criminoso. O irmão dele, Welbert Richard Viana Marinho, e os comparsa Fernando Ewerton da Silva e Alessandro Ricardo de Carvalho Bento receberam pena de cinco anos e seis meses de detenção em regime fechado.

Fim da PIRÂMIDE FINANCEIRA KRIPTACOIN e WALL STREET CORPORATE

Com o sucesso do Bitcoin e das criptomoedas, são cada vez mais os ESQUEMAS PONZI que prometem que você vai ganhar muito dinheiro ou até ficar milionário. Fique longe de golpes. A KRIPTACOIN e WALL STREET CORPORATE eram apenas um golpe que enganou muitas pessoas que não sabiam nada de criptomoedas e golpes.

Finalmente… a Justiça do Brasil travou esta PIRÂMIDE e conseguiu recuperar alguns itens adquiridos com o dinheiro das vítimas.

A Justiça apreendeu vários itens durante a operação que desarticulou o esquema – como helicóptero, veículos de luxo e até celulares – serão usados para ressarcir as vítimas. Responsável pela decisão, o juiz Osvaldo Tovani afirmou que não há dúvida de que os bens foram adquiridos com dinheiro dos investidores lesados.

“A própria forma, rapidez e intensidade com que o dinheiro foi gasto demonstram a origem ilícita, sem contar que as aquisições se deram durante a prática do crime de pirâmide financeira, ou seja, há contemporaneidade entre uma coisa e outra.”

Este é o trecho da sentença que revela alguns do itens que serão usados para ressarcir as vítimas:

Sentença da fraude KRIPTACOIN WALL STREET CORPORATE

Para atrair novos OTÁRIOS para o golpe que prometia até 1% por dia, com uma falsa criptomoeda, os FARAÓS, LARANJAS e PIRAMIDEIROS também ostentavam, para parecer que funcionava. Afinal… tudo era “armado”.

Fim da fraude KRIPTACOIN

Confira a condenação atribuída a cada um envolvidos:

  • Weverton Viana Marinho: condenado por crime contra a economia popular, lavagem de capitais (duas vezes), estelionato e organização criminosa. Pena: 11 anos, 5 meses e 10 dias, em regime inicial fechado, e 420 dias-multa. Absolvido de outras citações por lavagem de dinheiro.
  • Welbert Richard Viana Marinho: condenado por crime contra a economia popular e organização criminosa. Pena: 5 anos e 6 meses, em regime inicial fechado, e 380 dias-multa. Absolvido das acusações de lavagem de dinheiro.
  • Fernando Ewerton César da Silva: condenado por crime contra a economia popular e organização criminosa. Pena: 5 anos e 6 meses, em regime inicial fechado, e 380 dias-multa.
  • Alessandro Ricardo de Carvalho Bento: condenado por crime contra a economia popular e organização criminosa. Pena: 5 anos e 6 meses, em regime inicial fechado, e 380 dias-multa. Absolvido das acusações de lavagem de dinheiro.
  • Urandy João de Oliveira: condenado por crime contra a economia popular e organização criminosa. Pena: 5 anos, em regime inicial semiaberto, e 370 dias-multa. Absolvido das acusações de ameaça.
  • Hildegarde Nascimento de Melo: condenado por crime contra a economia popular e organização criminosa. Pena: 5 anos, em regime inicial semiaberto, e 370 dias-multa. Absolvido das acusações de ameaça.
  • Sérgio Vieira de Souza: condenado por crime contra a economia popular e organização criminosa. Pena: 5 anos, em regime inicial semiaberto, e 370 dias-multa.

  • Thaynara Cristina Oliveira Carvalho: condenada por organização criminosa. Pena: 3 anos, em regime inicial aberto (substituída por penas alternativas), e 10 dias-multa. Absolvida da acusação de lavagem de dinheiro.
  • Paulo Henrique Alves Rodrigues: condenado por organização criminosa. Pena: 3 anos, em regime inicial aberto (substituída por penas alternativas), e 10 dias-multa. Absolvido da acusação de lavagem de dinheiro.
  • Franklin Delano Santos Rocha: condenado por crime contra a economia popular, lavagem de capitais e organização criminosa. Pena: 9 anos, em regime inicial fechado, e 383 dias-multa.
  • Uélio Alves de Souza: condenado por crime contra a economia popular (duas vezes) e organização criminosa. Pena: 7 anos e 8 meses, em regime inicial fechado, e 397 dias-multa.
  • Wendel Alves Santana: condenado por crime contra a economia popular (duas vezes) e organização criminosa. Pena: 11 anos, em regime inicial fechado, e 403 dias-multa.
  • Wellington Junior Alves Santana: condenado por crime contra a economia popular, lavagem de capitais e organização criminosa. Pena: 11 anos e 2 meses, em regime inicial fechado, e 416 dias-multa.
  • Marcos Kazu Viana Oliveira: absolvido de todas as acusações. As medidas cautelares contra eles foram revogadas, e a Justiça determinou a devolução do passaporte do citado.

Toda a verdade sobre o golpe KRIPTACOIN / WALL STREET CORPORATE foi contada no Domingo Espetacular emitido a 22/10/2017, que você pode assistir abaixo:

Como detetar uma PIRÂMIDE FINANCEIRA

Entre as características típicas do esquema de pirâmide, o MP cita:

  • promessa de rendimentos estratosféricos
  • pouca ou nenhuma informação sobre a empresa, sendo que as informações repassadas por meio de palestras, vídeos, etc;
  • comercialização de produto (moeda virtual) que requer conhecimentos técnicos específicos;
  • inexistência real de produto (apenas uma fachada para a pirâmide)
  • obtenção de comissão recebida também pelo recrutamento de novos associados – e não através de vendas para consumidores não participantes do esquema.

Da próxima vez que alguém lhe falar que conhece um negócio lucrativo e tiver uma ou mais caraterísticas, reveladas acima, não invista. O mais certo, é que seja um golpe!