12 Estratégias para Resolver as suas Dívidas

Publicado a 4 Novembro 2012

Quando você tem problemas de dívidas sérios e não está a conseguir pagar, toda sua é afetada com esses problemas financeiros, por isso, o Tenho Dívidas partilha consigo 12 estratégias que deve aplicar já, para resolver as suas dívidas. Livre-se disso e comece a viver a sua vida.

Hoje em dia existem diversas opções que são excelentes soluções para dívidas, e neste momento são aconselhadas por advogados de insolvência, bancos e credores. Aproveite que os credores querem resolver os seus problemas de dívidas para receber o dinheiro emprestado para colocar em prática as seguintes estratégias:

  • Plano de gestão de dívidas – A maneira ideal para começar por resolver as suas dívidas é mediante um plano de pagamentos que pode ser feito por si mesmo. Consiste em planear o rendimento disponível e evitar qualquer gasto desnecessário. Se for possível, comece a fazer horas extra e a utilizar o dinheiro para o seu plano.
  • Negociação de dívidas – Mediante a negociação da dívida, uma empresa, que o representa ou até, você mesmo, negoceia com os credores formas de reduzir o dinheiro que deve. A maior parte das empresas de negociação de dívidas são claras sobre as comissões que cobram, mas assegure-se que não existem gastos extra no processo de negociação.
  • Consolidação de dívidas – A consolidação de dívidas é um processo muito vantajoso para o cliente. Neste processo, todas as dívidas são consolidadas numa só, cujo montante que vai pagar todos os meses é muito menor. A taxa de juro consolidada normalmente é mais baixa que as taxas de juros de todos os empréstimos juntos. Na maior parte das vezes, além de ver a taxa de juro reduzir, também poderá ver os pagamentos em atraso e impostos a serem eliminados. É uma das melhores formas para poupar dinheiro.
  • Empréstimos para consolidar dívidas – Os empréstimos de consolidação de dívidas ajudam a combinar todo o dinheiro que deve num só empréstimo. Por exemplo, se tem um empréstimo de 2.500€ (com uma taxa de juro de 15%), outro empréstimo de 1.000€ (a 12%) no cartão de crédito, e outro de 500€ (a 10%), poderá consolidar todos os empréstimos e ter um único crédito de 4.000€, com uma taxa de juro de 8%.
  • Assessoria financeira – As empresas de assessoria financeira vão lhe ajudar a eliminar as suas dívidas, mas não a consolidar. Desenvolvem planos de pagamento do dinheiro pendente, com uma taxa de juro mais baixa e quotas mensais mais baixas.
  • Refinanciamento – Consiste em refinanciar a sua casa e pagar as dívidas pendentes. O refinanciamento com uma taxa de juro mais baixa, vai ajudar-lhe a eliminar dívidas com taxas de juro mais altas do que está a pagar agora. Pode até desenvolver um plano para que tenha um gasto menor todos os meses.

  • Reforma – Se tem um plano de reforma à conta da sua empresa, é possível que possa conseguir um empréstimo de dinheiro da sua reforma. Este tipo de crédito é a melhor opção para retirar dinheiro da reforma, já que paga menos impostos adicionais e penalizações até 10%.
  • União de créditos – A união de créditos tem geralmente empréstimos com taxas de juro e honorários mais baixos.
  • Empréstimos de equidade da habitação – A equidade é a diferença entre o valor da sua casa no mercado imobiliário e o que deve de hipoteca, isto é a parte da propriedade que é sua. Os empréstimos de equidade da moradia permitem que peça dinheiro emprestado tendo em conta o valor da casa, sem nenhuma outra hipoteca. É uma quantidade de dinheiro por um período fixo de tempo.
  • Seguros – Se tiver um seguro de vida, você pode pedir dinheiro emprestado à apólice com uma taxa de juro muito baixa para resolver os seus problemas de dívidas. A vantagem é que não tem que devolver este empréstimo, dado que os benefícios do seguro de vida serão reduzidos pela quantidade que peça emprestada além da taxa de juro.
  • Cartões de crédito – Sempre que seja possível, é aconselhável pagar a dívida total dos seus cartões de crédito. Consolidar a dívida dos cartões também é vantajoso, porque pode conseguir uma taxa muito mais baixa em comparação com outros tipos de empréstimos de consolidação.
  • Falência – A falência (ou insolvência, bancarrota) deve ser a última opção para resolver as suas dívidas. Ás vezes, quando as pressões financeiras são enormes e não pode chegar até ao fim, tem que declarar falência. A insolvência é um alívio temporal, mas vai criar um impacto negativo no seu historial financeiro.