Como Resolvi todas as minhas Dívidas Rápido

Publicado a 31 Julho 2013

Leia a história verídica de uma pessoa que resolveu todas as suas dívidas e começou uma nova vida. Saiba porque você ainda continua endividado. Experimente esta solução!

Um ano atrás eu estava sobrecarregado de dívida, tanto era que não podia enfrentar mais os meus pagamentos e tinha muitas dívidas enviadas a empresas de cobrança de dívidas. Os credores reclamavam dos pagamentos em atraso, e eu tentava resolver todos os problemas. Foram tempos de stress total, pensando sobre como iria pagar o carro ou o aluguer da casa. É difícil imaginar esses dias agora (e o peso insuportável da dívida), porque desde este ano estou livre de dívidas.

É um sentimento de liberdade incrível não estar a dever dinheiro a outras pessoas ou aos bancos. O seu dinheiro é seu, e você tem que poupar, investir e comprar apenas o que necessita. Mas, ir do momento em que estava cheio de dívidas até ao momento em que fique sem nada por pagar não fui instantâneo. Foi uma viagem, e foi necessário uma resolução firme, alguns sacrifícios e alguns hábitos novos.

Como livrar-se das dívidas?

Não foi das viagens mais fáceis para mim, mas creio que devido à luta que supõe sair desta situação financeira complicada, o destino final é muito mais doce. Estas são os passos mais importantes que segui para conseguir finalmente resolver a minha situação financeira:

  • Cancelar os cartões de crédito – Este elemento desperta sempre debate, mas irei dizer sempre em primeiro lugar, porque tem sido crucial para conseguir libertar-me das dívidas. Os cartões de crédito são tentadores, e com as suas taxas de juro elevadas podem ser muito perigosos. É possível usá-los sabiamente e inclusive beneficiar-se do seu uso, contudo muita gente não sabe como fazer isso.
  • Eliminar os gastos não essenciais – Isto pode parecer um extremo para muita gente, mas lembre-se que tenho seis filhos e por um tempo não ganhava o suficiente para manter a minha família. Necessitava de poupar. Assim que eliminei tudo o que não necessitava, como canais de TV pagos, saídas à noite, ir ao cinema, álcool, tabaco, comprar roupa nova, etc. Lentamente reaprendi a viver.
  • Plano de gastosFazer um plano de pagamento é o ideal para saber qual o dinheiro disponível e quanto dinheiro você vai gastar nesse mês, para que não termine o mês a pedir dinheiro emprestado ou cheio de dívidas.
  • Dinheiro e Pagamentos online – Uma das razões porque tinha problemas em controlar as minhas finanças no passado era que gastava bastante dinheiro. Usava um cartão de crédito, cartão de débito, cheques, retirava sempre dinheiro do multibanco, etc. Não sou bom a anotar cada cêntimo que gasto, e por isso só piorei a minha situação. Assim que comecei a controlar todos os meus gastos online, comecei a ver o que estava a fazer mal. O serviço de homebanking é simples e seguro.

  • Fundo de Emergência – Creio que esta foi uma das coisas mais importantes que fiz. Eu sei que é um conselho muito comum, mas é por uma boa razão: se um fundo de emergência, as suas finanças estão à mercê de qualquer situação urgente que apareça. Gastos médicos inesperados? Uma reparação doméstica? Reparações do carro? Necessita de visitar um parente doente? Essas coisas terão que ser pagas de alguma maneira, e se você não tem um fundo de emergência você terá que endividar-se para pagar ou sacrificar os seus pagamentos deste mês.
  • A dívida é o primeiro pagamento – Na realidade, poupar para o fundo de emergência era o meu primeiro pagamento. Quando recebia o meu salário transferia o dinheiro para a minha conta de aforro, e só depois pagava outras facturas e retirava o dinheiro para gastar. Quando tive pelo menos 1000 euros poupados, comecei a pagar a minha dívida da factura mais importante, e paguei essa primeiro. Depois poupei ainda mais, e paguei as outras facturas atrasadas.
  • Recompensa – Creio que depois desta maratona não podia fazer outra coisa senão celebrar com uma recompensa. Claro que é necessário gastar dinheiro extra, mas a sensação é positiva. Faça uma viagem ou faça algo que goste (e tenha dinheiro para isso).
  • Aumentar os rendimentos – Além de gastar menos e viver mais simples, também aumentei os rendimentos da minha família para fazer face à minha situação financeira mais estável. Para fazer isso, procurei por um novo emprego a tempo inteiro, e continuei a trabalhar como freelancer.