Como Amortizar as Dívidas

Publicado a 22 Novembro 2012

Saiba como amortizar parte das suas dívidas para começar a pagar menos dinheiro pelo seus empréstimos. Truques para poupar dinheiro e despachar os pagamentos mais importantes.

Nem todas as dívidas que faz são iguais e, prova disso, é que convém pagar mais rápido alguns empréstimos do que outros. Um exemplo bom para este artigo é o seguinte: qual é a melhor dívida: um empréstimo habitação ou dívidas no cartão de crédito? Claro que é o empréstimo habitação. Pois, além de poder descontar e pagar menos impostos na sua declaração das Finanças, também tem juros mais baixos.

Suponhamos que você tem um dinheiro extra e quer dedicar esse dinheiro para amortizar parte das suas dívidas. Normalmente, as famílias têm crédito à habitação, cartão de crédito e um dos vários empréstimos pessoais (automóvel, compras, etc).

Quais são os primeiros créditos a amortizar?

Primeiro convém amortizar os créditos dos cartões de crédito. É um passivo que obriga a pagar uma taxa de juro alta (entre 15 a 25% TAE, embora tenha sempre uma taxa mensal). A poupança obtida neste caso poderá ser bastante significativa. Este é um dos empréstimo que deve ter maior prioridade que qualquer outro crédito. Além disso, é uma dívida de curto prazo cuja redução ou eliminação aumentará o seu nível de solvência e melhorará a sua situação financeira num horizonte próximo.

Depois dos cartões de crédito saiba quais são os empréstimos que deverá pensar em amortizar para reduzir o valor total em dívida ou para eliminar de uma vez por todas com os encargos mensais:

  • Amortizar Crédito Habitação – Aqui terá que fazer uma série de cálculos, pois existem casos em que pode ser melhor amortizar um ou outro empréstimo. Para começar, diremos que a amortização da hipoteca é sempre mais conveniente no princípio de vida do crédito, pois é quando está a suportar os juros. A amortização pode poupar muito dinheiro em juros no futuro, além de poder obter benefícios fiscais por isso. No entanto, se tiver perto do fim da hipoteca, não convém pagar tudo, pois perderá acesso a deduções fiscais e irá pagar uma taxa muito alta.
  • Amortizar Créditos Pessoais – Os empréstimos pessoais têm uma taxa de juro maior que as hipotecas, sem contar que não têm benefícios fiscais. Por isso, terá que calcular cada caso para ver qual é o melhor. Se está numa situação financeira melhor, com um rendimento extra, trate de amortizar o crédito pessoal pois, no curto prazo significará uma poupança grande ao fim do mês.