Polícia de Espanha FAZ DETENÇÕES no caso PONZI Unetenet

Publicado a 18 Julho 2015

Fraude UNETENETPolícia de Espanha prendeu 20 pessoas no caso Unetenet. A Unetenet é um Esquema Ponzi que burlou milhares de pessoas em todo o mundo.

Há muito tempo que tínhamos alertado que a Unetenet é uma fraude e ia rebentar. Inicialmente era uma cópia da TelexFREE, com os membros a serem obrigados a fazer spam para receber o retorno prometido.

Como sempre, no início é tudo bonito, mas pouco tempo depois tudo muda…

Com o esquema perto de rebentar, ainda tentaram adicionar uma cryptomoeda – chamada de unete – mas não tiveram sucesso. A Unetenet colapsou e começaram a aparecer todos os dias novas vítimas.

Perto de 6000 investidores espanhóis processaram a Unetenet e os seus donos. Na denúncia, os investidores alegam que o esquema enganou cerca de 22,000 50,000 afiliados em 50 milhões de euros. É muito dinheiro mesmo!!

Nessa altura as autoridades de Espanha não fizeram nenhuma movimentação pública, apesar do Banco da Letónia e do Payoneer bloquearem as contas do esquema em meados de 2014.

Pelos vistos, as autoridades de Espanha estiveram a investigar a Unetenet, tomaram várias medidas a 15 julho 2015. Prenderam vários líderes do esquema em pirâmide e recuperaram milhões de euros.

José Manuel Ramírez Marco, dono do golpe Unetenet, juntamente com a sua esposa Pilar Otero

José Manuel Ramírez Marco, dono do golpe Unetenet, juntamente com a sua esposa Pilar Otero

De uma forma bem organizada, a Polícia de Espanha prendeu vinte cúmplices da Unetenet em todo o país:

A Polícia Nacional prendeu 20 pessoas: duas em Madrid, uma em Valencia, duas na província de Málaga, oito na província de Sevilha, uma pessoa em Langreo, duas na província de Alicante e quatro em Arrecife (Las Palmas).

Estes movimentos da Polícia também resultaram na apreensão de

18 computadores: portáteis, discos rígidos e CPUs, 3 tablets; vários documentos relacionados com fraude e lavagem de dinheiro; 15,505€ e dois carros de luxo.

Os fundos guardados em contas bancárias da Unetenet também foram apreendidos, incluindo

uma conta na Letónia com mais de 5 milhões de euros, perto de 22 milhões de dólares, $2,600 dólares do Canadá, £1,600 libras e $365 dólares Australianos.

Não existe nenhuma informação, sobre se o mentor da Unetenet, o José Manuel Ramírez Marco foi também um dos detidos.

A Polícia de Espanha revelou que múltiplas autoridades juntaram-se para investigar a Unetenet:

A operação foi realizada de forma conjunta com o Grupo de Branqueamento de Capitais da Sede Superior da Polícia de Andaluzia Ocidental e agentes especializados da UDEF Central do Comissariado Geral da Polícia Judiciária ligados ao Serviço Executivo de Prevenção do Branqueamento de Capitais (SEPBLAC), em colaboração com a Sede da Polícia no leste da Andaluzia, Valência, Astúrias e das Ilhas Canárias; e os Postos de Polícia Alicante, Velez-Málaga, Guengirola, Elche, Denia, Arrecife e Langreo.

Depois de mais de um ano e meio de investigação, os agentes puderam constatar a existência de uma empresa que captava as suas vítimas através de actos de publicidade, como eventos em hotéis de luxo, vídeos promocionais ou palestras educacionais, onde se oferecia um rendimento extra rápido publicando anúncios da empresa na Internet.

Os burlões usaram o dinheiro investido para inventar e desenvolver uma moeda virtual, que não tinha qualquer valor e tornava impossível os investidores recuperarem o dinheiro investido.

A maneira de recrutar novos otários para participar neste tipo de esquemas é sempre igual. Os eventos em hotéis de luxo ou prometer dinheiro fácil no Facebook, são as duas formas de recrutamento mais usadas.

Tenha cuidado com outras fraudes do mesmo género. A OneCoin também usa o golpe da moeda virtual para aliciar novos otários a investir dinheiro, com as promessas de lucro fácil com uma moeda que não existe, não pode ser usada para comprar coisas…