Convém mudar o Crédito Habitação de Banco?

Publicado a 6 Dezembro 2012

Saiba se convém ou não mudar o Crédito à Habitação do seu banco atual para outra entidade bancária. Descubra os prós e contras de mudar nesta altura de banco. Dicas para poupar dinheiro!

Durante estes últimos anos, o mercado imobiliário tem crescido a um ritmo fantástico, desde o ponto de vista de novas casas construídas como pelos dados de venda de imóveis novos e usados. Contudo, este crescimento reflete o aumento do número de créditos hipotecários solicitados e concedidos pelos bancos. Mas, com a descida acentuada das vendas, devido à incerteza económica, os altos preços das moradias e o excesso de oferta, fez com que também o número de pedidos de crédito à habitação baixasse.

Por isso, as entidades bancárias, para poder cumprir com os seus objetivos quando ao volume de créditos concedidos, vêem-se obrigadas a adotar novas estratégias para captar clientes num mercado onde já não é assim tão fácil. Daí, estão a convencer clientes com hipotecas a mudar de entidade bancária, normalmente conhecida como sub-rogação do crédito.

Desta forma, os consumidores com hipotecas podem beneficiar das condições vantajosas, oferecidas pelos bancos para mudar o crédito de banco. Além de oferecer uma hipoteca livre de comissões (cancelamento, mudança, etc), taxas de juro mais vantajosas, e até uma compensação económica. Também podem oferecer a possibilidade de aumentar os prazos de devolução, até 35 ou 40 anos, para que os pagamentos mensais sejam menores.

Claro que, com esta oferta por parte dos bancos é necessário haver uma contrapartida da sua parte. Quase todas as entidades pedem que passe a ser seus clientes e que a relação de produtos contratados não se limite apenas à hipoteca. Por isso, a contratação de um crédito à habitação ou outro tipo de hipoteca, está sempre condicionada à contratação simultânea de um seguro de vida e seguro da casa associados com a domiciliação do seu salário, entre outras coisas.

Quando convém mudar a hipoteca de banco?

  1. Quando o montante total pago ao longo do prazo de vida do crédito seja muito inferior ao montante em vigor.
  2. No caso de ajudar a poupar dinheiro e pagar menos todos os meses, deixando mais rendimento disponível para fazer face às suas despesas.
  3. Ofereçam outras condições vantajosas, que não tem no outro banco.