Lista de Tipos de Créditos Particulares

Publicado a 17 Julho 2013

Saiba quais são os tipos de créditos particulares que estão disponíveis quando está com dificuldades financeiras. Tenha cuidado com estes empréstimos pessoais!

Hoje em dia são vários os tipos de créditos disponíveis para conseguir o financiamento necessário para adquirir os bens que você necessita (e quer!). É comum encontrar particulares que pedem créditos particulares para o pagamento de empréstimos bancários que estão em dívida e não estão a conseguir pagar. Mas tenha cuidado se esta é a sua situação, pois você poderá piorar a sua situação financeira.

Se o banco já não lhe empresta mais dinheiro, poderão haver algumas entidades financeiras, como a Cofidis, entre outras, que poderão emprestar-lhe dinheiro, no entanto, os juros cobrados são muito mais altos. Por isso, se você não ganha o suficiente para pagar o crédito pessoal todos os meses, então não arrisque.

Pedir dinheiro para pagar outros créditos é uma forma de adiar os seus problemas, já que mais cedo ou mais tarde você poderá ficar com dificuldades em continuar a fazer os pagamentos todos os meses, até que chega ao momento em que você não consegue arranjar o dinheiro da mensalidade do crédito.

Créditos Pessoais

Existem várias entidades financeiras que estão dispostas a emprestar dinheiro a particulares para valores entre os 2500 euros e os 25 mil euros, dependendo do tipo de crédito em que está interessado. Poderá encontrar vários produtos financeiros disponíveis. Desde crédito automóvel, crédito pessoal, crédito de férias, entre outros tipos de empréstimos baixos.

Crédito Particular com garantia

Por natureza, neste tipo de crédito não pode ser cobrado mais do que 3% de juros. Você tem que ter um ou mais bens que sirvam de garantia caso você entre em insolvência ou tenha dificuldades em pagar as suas dívidas à entidade onde pediu dinheiro.

Crédito Particular sem garantia

Normalmente este tipo de crédito sem garantia tem juros entre os 5% e 6%, no entanto, dependendo da sua situação financeira, do prazo de pagamento, entre outros dados importantes, os juros poderão ser mais altos.

Em ambos os casos anteriores, com ou sem garantia, é aplicada uma taxa anual de juros legal, em que nunca poderá ser ultrapassado num certo valor, definido por lei. É preciso que você tenha muita atenção, pois existem empresas a emprestar dinheiro com juros elevados, que não são permitidos por lei. Como toda a gente sabe, quem procura este tipo de solução não tem acesso à banca, e por isso, é normal encontrar empresas que se aproveitam deste tipo de pessoas.

Créditos com Cheques

O recurso aos cheques para um crédito particular tem sido bastante popular nestes últimos anos, no entanto, muitas empresas deixaram de aceitar cheques ou pedem provisão do mesmo, pois acontecia que muita gente no final não acabava por pagar porque não tinha dinheiro na conta.

Neste tipo de crédito são cobrados juros muito elevados e muitas empresas pedem que o pagamento da prestação seja feito em duas prestações quinzenais, de forma a salvaguardarem problemas de incumprimento. Para cheques com um valor até 145 euros, o banco tem de assumir a dívida do cliente, mas para cima disso, o cliente é responsável pelo pagamento da dívida.

Créditos sobre imóveis

Existem muitos proprietários de imóveis que não são mais capazes de pagar a prestação da casa, por essa razão acabam por fazer um crédito sobre o imóvel, onde recebem o dinheiro do imóvel como pagamento, mas ficam a pagar uma renda, passando de proprietário a inquilino.

Por exemplo, se você tem um imóvel de 500 mil euros, a empresa vai comprar-lhe a casa por 250 mil euros e arrenda a si o imóvel, segundo uma renda previamente acordada de acordo com o valor do imóvel. No contrato é indicado o prazo de arrendamento, valor da renda e se existe ou não opção de compra.

Se quiser exercer o direito de compra do imóvel, poderá fazê-lo através do pagamento de 500 mil euros. Como pode ver pela explicação este tipo de empréstimo não é rentável para si, apenas para a entidade financeira ou para o investidor. Por isso, pense bem antes de decidir a sua situação financeira.