JUSTIÇA DO BRASIL CONFIRMA que BBOM é PIRÂMIDE FINANCEIRA!

Publicado a 13 Julho 2016

Justiça do Brasil afirma que BBOM é Pirâmide FinanceiraA Justiça do Brasil finalmente confirmou que a BBOM é um Pirâmide Financeira ou Esquema Ponzi. Supostos produtos eram uma isca para recrutar novos OTÁRIOS. FESTA ACABOU!!

O ano de 2013… foi quando tudo começou… as investigações e a verdade sobre a BBOM ser uma Pirâmide Financeira.

Em julho 2013, o juiz bloqueou todos os bens da BBOM depois dos promotores de justiça terem convencido o juiz que era um Esquema Ponzi.

Ainda em 2013, foi levantado o bloqueio das contas bancárias da BBOM, para pagar as comissões não relacionadas com a sua atividade de Pirâmide Financeira. Sem qualquer venda a consumidores reais, nada mudou. Continuou tudo igual…

Em dezembro 2013, a BBOM foi novamente classificada como Pirâmide Financeira, desta vez pelo Ministério da Fazenda.

Dez meses mais tarde, os Procuradores Federais acusaram a gestão da BBOM, incluindo o dono João Francisco de Paulo, de atividade criminosa.

A BBOM é PIRÂMIDE FINANCEIRA. PONTO!

No dia 5 julho 2016, o Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO) manifestou-se, na ação civil pública (ACP) ajuízada em 2013 contra a BBOM. No parecer, o MPF-GO pede o julgamento definitivo do processo, com o acolhimento integral dos pedidos formulados na ACP, consistentes no reconhecimento da irregularidade do modelo de negócios empreendido pela BBOM, além de, entre outras providências, a devolução do dinheiro investido aos consumidores.

Não existe mais dúvidas. Não continue deixando que outras pessoas lhe façam de OTÁRIO. Entenda como funcionava o esquema segundo o MPF-GO:

Na BBOM, o produto que supostamente “sustentaria” o negócio das empresas é um rastreador de veículo. Como em outros casos emblemáticos de pirâmide financeira, isso é apenas uma “isca” para recrutar novos associados, assim como os animais nos casos da “Avestruz Master” e do “Boi-Gordo”.

A prática de pirâmide financeira é proibida no Brasil, configurando crime contra a economia popular (lei nº 1.521/51). A BBOM é um exemplo dessa prática criminosa, já que os participantes seriam remunerados somente pela indicação de outros indivíduos, sem levar em consideração a real geração de vendas de produtos.

O MPF-GO vai ainda mais longe no seu comunicado e acaba por revelar o que é marketing multinível, para que mais gente não seja enganada por esquema em pirâmide disfarçado de multinível:

Para ser marketing multinível ou venda direta legítimos, o dinheiro que circula na rede e paga as comissões e bonificações dos ‘associados’ deve ser proveniente de consumidores finais de produtos da empresa, no varejo. Se, em vez de dinheiro de consumidores finais, usar-se dinheiro dos próprios associados para pagar os associados mais antigos, trata-se de pirâmide, que irá desmoronar-se quando o ingresso de novos associados diminuir, deixando várias pessoas no prejuízo.

Para terminar, o MPF-GO disse em poucas palavras como funcionava a BBOM e porque é Pirâmide Financeira:

No sistema adotado pela BBOM, os interessados associavam-se mediante o pagamento de de um valor de adesão que variava dependendo do plano escolhido (bronze – R$ 600; prata – R$ 1.800 ou ouro – R$ 3.000), obrigando-se, ainda, a atrair novos associados e a pagar uma taxa mensal obrigatória (referente ao comodato do aparelho, que não era entregue) no valor de R$ 80 pelo prazo de 36 meses. O mecanismo de bonificação aos associados era calculado sobre as adesões de novos participantes. Quanto mais gente era trazida para a rede, maior era a premiação prometida.

Depois da BBOM ter sido bloqueada… ainda lançaram a BBOM+, que diziam ter sido liberada pela Justiça… mas era uma cópia da anterior, mas numa versão mundial, que… acabou por ser um fracasso. Prometeram devolver o dinheiro, mas nunca chegaram a devolver. O processo nunca foi bem claro.

Outra Pirâmide Financeira que acabou mal!

Poucos meses depois a BBOM+ não paga e a VIBECOIN, que seria a nova tentativa de converter saldo virtual numa moeda dentro do esquema, também acabou por não ter sucesso…