Diferenças entre consolidar dívidas e negociar dívidas

Publicado a 6 Novembro 2012

Entenda quais são as diferenças entre consolidar uma dívida e negociar uma dívida. Uma vez, depois de saber como funcionam ambos os métodos poderá saber qual é a melhor opção para evitar entrar em insolvência e ter os seus bens penhorados.

A consolidação e a negociação de dívidas têm as suas vantagens e desvantagens. Antes de continuarmos com as diferenças entre ambas, sugerimos que veja os benefícios da negociação e os benefícios da consolidação.

A negociação pode ser vantajosa, já que você negoceia realmente com os credores para não ter que pagar parte do dinheiro que lhe emprestaram. Desta forma, os credores aceitam cancelar parte da dívida ou reduzir os custos que terá com o crédito. Por exemplo, suponhamos que o José pediu 1000€ num empréstimo bancário. Contudo, chegou à data de pagamento, mas o José não tem dinheiro todo para pagar e está endividado, conseguindo apenas pagar 600€. O José negoceia com o banco um bom acordo, e consegue com que o banco perdoe 400€ da sua dívida, com o compromisso de pagar logo o dinheiro em falta.

Embora possa parecer um sonho tornado realidade, tem muitos inconvenientes associados, já que este perdão inclui sempre custos, mesmo não sendo financeiros:

  • Vai aparecer no seu historial financeiro que você negociou e que chegou a um acordo para não pagar toda a dívida.
  • Embora seja melhor que ter uma dívida no seu historial, é muito prejudicial para si, já que qualquer possível credor não irá querer lhe emprestar dinheiro.

Resumindo, se tem dívidas pendentes com mais de um credor é melhor optar pela consolidação. Caso contrário, se acredita que chegou a uma situação de endividamento insuportável, e está a chegar à falência, neste caso a negociação é melhor para si.